Economia

09/04/2019 01:59

Valor da cesta básica aumenta no grande ABC

Tomate teve a maior variação, subindo 46% em março

Os produtos que mais subiram de preço no mês de março foram os hortifrútis, tendo como o maior destaque no período o tomate que teve alta de 46%. A batata e a banana foram os outros dois produtos com maiores variações, com 37,23% e 32,12% de alta, respectivamente, segundo a Craisa  (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) que pesquisa supermercados em toda a região.

Para o engenheiro agrônomo Fábio Vezzá Benedetto, o motivo da alta maior no grupo dos hortifrútis ainda está relacionado com as chuvas fortes do início do ano, mas a tendência é de estabilização. Porém o tomate, em sua análise, tem mantido o preço em patamares altos porque seu consumo não diminui. “O tomate é mais sensível e no final do verão com muitas chuvas ele sofre mais com doenças e fungos. A caixa no Ceasa chegou a R$ 100, ainda está muito caro, mas o consumo continua alto, ainda mais nos dias quentes em que se consome mais saladas”, analisa. O produto iniciou o mês custando em média R$ 5,30 e ao final do período já custava R$ 7,30.

O feijão, o vilão maior da Cesta Básica no início deste ano e que chegou a custar em fevereiro quase R$ 10 o quilo, acumulando 100% de aumento em um ano, já começou a baixar de preço, mas em um ritmo lento. O grão teve queda de 11,69% no seu preço entre o início e o fim de março, caindo do preço médio de R$ 7,49 para R$ 6,61. Segundo Benedetto a oferta do produto melhorou. No ano passado o produto estava num preço muito baixo o que desestimulou o produtor e isso refletiu na safra. O problema do feijão é que o consumidor não migra para outras variedades, só quer o carioquinha”, disse o engenheiro agrônomo da Craisa.

Outro item da cesta básica que caiu e contribuiu para que o todo do pacote de produtos não variasse tanto foi o açúcar, com queda de 12,29%. E é só o começo do mergulho do preço do derivado de cana. “O preço está caindo por conta da ótima oferta e o preço deve cair mais”, avaliou Benedetto.

Como resultado compensatório entre os produtos que mais subiram de preço e os que tiveram decréscimo, na média a cesta básica do ABC ficou em R$ 632,59, apenas 1,89%, acima da última apuração.

OS PREÇOS QUE MAIS SUBIRAM

TOMATE (1 KG) 46,92%
BATATA (1 KG) 37,23%
BANANA (1 KG) 32,12%
CEBOLA(1 KG) 16,80%
BOLACHA SALGADA(PCT 200 G) 15,01%
FRANGO (1 KG) 14,38%
CARNE BOVINA 2a(1 KG) 10,51%
BOLACHA DOCE(PCT 200 G) 8,60%
PAPEL hig. BCO(PCT 8 ROLOS) 7,54%
LARANJA (1 KG) 6,12%
OVOS BRANCOS(1 DUZ) 5,65%
ALFACE (UNIDADE) 5,42%
CARNE BOVINA 1a(1 KG) 4,98%
MACARRÃO ESPAGUETE(500 G) 3,69%

RECEBAINFORMATIVOS

Receba novidades sobre vagas de emprego e notícias do site em seu e-mail

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.
Copyright 2010-2017 INFORMA ABC © Todos os direitos reservados.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo