Saúde

20/11/2019 14:59

Novembro Azul e o alerta para o câncer de próstata

318 casos da doença foram registrados em hospitais públicos da região

O Novembro Azul é o mês em que se combate o câncer de próstata. Considerada uma doença da terceira idade, o câncer de próstata atinge na maioria dos casos homens com mais de 65 anos. Segundo pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tumor afeta cerca de 68 mil homens por ano no Brasil, contabilizando mais de 15 mil mortes, com um registro sendo feito a cada 38 minutos. Na região do ABC, foram registradas 318 internações em hospitais públicos e 32 óbitos no período de janeiro a agosto. Os dados são do Datasus (Banco de Dados do Ministério da Sáude).

Leonardo Lopes é urologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia (TiSBU) e alerta sobre os possíveis sintomas que o câncer de próstata pode apresentar. "Na fase inicial não há sinais. Quando eles aparecem, podem estar relacionados à doença avançada", explica. Entre os sintomas mais comuns, o médico destaca dificuldade para urinar, sangue na urina, perda de ereção e dor nos ossos. O médico recomenda um estilo de vida saudável, com dieta pobre em gorduras e produtos industrializados, além da prática de exercícios físicos na rotina como formas de se precaver.

Ervino Rodrigues Martins (59), morador de Santa Cruz, no  Rio Grande do Sul, é funcionário público aposentado, efetuou o exame de rotina preventivo (PSA), no fim de 2012, e recebeu uma má notícia que só veio a se concretizar anos depois. O PSA é um exame laboratorial recomendado para identificar indícios do câncer de próstata.  "Quando o câncer se confirmou, em 2018, foi realmente um choque, o impacto da notícia é violento". Após a confirmação da doença o aposentado optou por fazer uma cirurgia, pois era a forma mais eficaz para um tratamento mais eficaz, mesmo com os riscos de efeitos colaterais. Ervino afirma da importância de fazer o exame de toque retal, além do PSA, mesmo que o homem não demonstre nenhum dos sintomas do câncer.

O consultor de empresas e professor Paulo Magnus (56), foi outra vítima do câncer de próstata. No Novembro Azul de 2017, Paulo também passou pelo PSA e o resultado foi alterado. O consultor abriu mão da biópsia, uma recomendação dos médicos, por ser um exame muito caro e acabou optando por outro tratamento. "Decidi fazer terapia hormonal por quatro meses e depois radioterapia, um procedimento que durou um pouco mais de um ano", conta. Após esse período, Paulo fez a contagem de PSA e os resultados foram promissores. "Não existe evidência de câncer em nenhuma parte. Me sinto curado e sigo com a vida normalmente."

*Esta reportagem foi produzida por estagiários do Curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo


Todos os Direitos Reservados para Informa ABC

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo